Pix ou Paypal: giganalise@gmail.com

Indústria de animes bate recorde pelo sexto ano consecutivo tendo crescimento do streaming mas queda nas vendas de mídia física. (Giganálise News)




A Associação de Animadores Japoneses publicou há alguns dias um preview do relatório da indústria em 2019, o qual avalia o mercado desde o início de 2018 até o próximo 09 de Dezembro

De acordo com o preview divulgado na última Quinta, 28 de Novembro, o mercado de animes em 2018 movimentou 2.18 trilhões de yenes equivalentes a mais ou menos R$ 84.45 bilhões de reais na cotação de hoje. Embora eles não tenham revelado ainda os valores para 2019 estima-se que o crescimento gire em torno de 0.9%.

A indústria vem crescendo há nove anos alcançando recordes expressivos nos últimos seis o que coincide à maior utilização de serviços de streaming inclusive em países como o Brasil. 

O gráfico abaixo representa cada ano em unidades de 100 milhões de yenes.
Tanto o consumo interno do Japão quanto o externo apresentaram leve crescimento em 2018. O consumo doméstico colheu saldo positivo desde 2014 já o mercado no ocidente superou pela primeira vez a marca de 1 trilhão de yenes (mais ou menos 38.71 bilhões de reais) embora tenha mostrado pequena queda em relação aos valores mais substanciais dos anos anteriores. 

O gráfico abaixo exibe o mercado interno do Japão com uma linha sólida e o ocidental tendo linha pontilhada.
Setores expressivos em 2018 incluem eventos ao vivo tendo 23.1% de crescimento e o streaming de vídeo com 10.2%. Por outro lado as vendas de Blue-rays/DVDs e direitos de propaganda caíram 23.3% e 4.4% respectivamente. O ano passado marcou a 5ª vez em que as vendas de mídia física decaíram.

Lá atrás em 2017 o tempo de duração total de adaptações em formato episódico para TV excedeu a marca de 110.000 minutos pelo 5º ano seguido mas o número de animes propriamente exibidos em redes de Tv decaiu 4.5%.

Deixe seu comentário e se curtiu, compartilhe.

Confira outras postagens em nossa Home.


Nos siga nas redes sociais.


Valeu e até a próxima.


Leia Também: