Que Maou-sama, Retry! foi a adaptação com pior animação do Verão\2019 e uma das piores do ano isso é praticamente unanimidade no entanto o anime ganhou certo foco mesmo com as limitações técnicas ao ponto de uma continuação (certamente uma segunda temporada) ser anunciada ao final do último episódio exibido há alguns dias.

Como a maioria das pessoas não ficamos muito empolgados com o trailer do anime liberado poucas semanas antes do seu início lá atrás no mês de Junho mas, procurando informações para o Giganálise fiquei intrigado do porque logo a Funimation, um dos maiores e mais antigos serviços de streaming da categoria, ter adquirido os direitos de exibição da série para o mercado americano, um dos mais críticos e exigentes.

Devido a qualidade da animação quase desisti ao final do segundo episódio no entanto Maou-Sama, Retry parecia promissor e guardar algumas cartas da manga. Ao continuar assistindo me deparei com um anime que apesar de não ser brilhante foi divertido, com personagens e situações hilárias, satirizando com alguns elementos dos isekais de aventura e explorando bem personagens femininas e situações típicas de comédias românticas.

A história é protagonizada por Oono Akira, um administrador de servidores de um RPG multiplayer chamado Infinite Game em atividade há 15 anos. Ao decidir finalmente desligar os servidores ele é transportado para um mundo virtual que lembra bastante o jogo, encarnando a figura de Hakuto Kinai (ou Maou-Sama) um personagem na figura de um homem por volta de 35 anos com várias habilidades.
Ao salvar a pequena Aku, Kinai (agora Maou-sama) se torna seu protetor e vendo as injustiças daquele mundo virtual resolve fazer uma revolução por lá usando seus pontos de habilidades e dinheiro para construir a própria base tendo boa lábia em negociações e conquistas de aliados. O personagem é carismático e engraçado porém mais do que ele são as garotas que encontra pelo caminho incluindo a tsundere, orgulhosa e caprichosa Luna, a yandere violenta Queen, a pura e inocente Angel entre outras que de início o detestam mas acabam se apegando ao protagonista depois de uma ou duas palmadas no traseiro.
Para quem entendeu a proposta do enredo clichê e pastelão a série se mostrou tão divertida ao ponto de você perdoar a qualidade visual que no geral é abaixo da média tendo alguns momentos de arder os olhos de tão zoada. Até isso se tornou cômico!

O anime certamente teve baixo orçamento sendo produzido pelo estúdio Ekachi Epilka, ainda bastante recente tendo muito a crescer sendo fundado em 2017. A continuação de Maou-sama, Retry! ainda não tem data ou demais informações e a Season One foi dirigida por Hiroshi Kimura, já veterano no mercado tendo trabalhos desde os anos 90 e que foi diretor de Hamatora The Animation (2014).
 
Deixe seu comentário e se curtiu, compartilhe.

Confira a seção "Leia Também" mais abaixo e outras postagens em nossa Home.

Nos siga nas redes sociais.

Valeu e até a próxima.

* Open de Maou-sama, Retry linkada diretamente do Dailymotion de acordo com políticas de compartilhamento da plataforma.