Pix ou Paypal: giganalise@gmail.com

Anime News Network faz entrevista com o produtor Ide Kazuya a respeito do futuro da animação 3D e as novas tecnologias recentemente implementadas. (Giganalise Comentário)



Ide Kazuya é um produtor da Shirogumi Inc, um estúdio de animação e efeitos visuais de longa data dentro da indústria japonesa. O estúdio é um dos senão o único relevante quando se trata em lidar com efeitos visuais para live-actions e animação por computação gráfica e está atualmente trabalhando na série Revisions, um anime 3D que será lançado na temporada de Inverno\2019 exibido simultaneamente pela Netflix. O website Anime News Network teve a oportunidade de conversar com Kazuya na última Anime Expo a respeito de seu trabalho único e o futuro da animação 3D no Japão bem como o que ele acha da união da animação tradicional com a computação gráfica.

Não é nenhuma novidade que as pessoas quase sempre torcem o nariz quando se fala em computação gráfica (ou CG) dentro da animação tradicional e por várias razões. Até pouco tempo, animes em 3D possuíam movimentos truncados e não naturais além de um design matemático que não agradava, a prova maior disso foi Souten no Ken: Regenesis que foi ao ar na primavera desse ano e quase ninguém curtiu no entanto a quarta temporada de Monster Strike que está em exibição neste verão tem chamado bastante atenção pelo oposto, trazendo uma animação 3D bastante convincente e semelhante ao que vemos no 2D tradicional.
A definição do produtor sobre animação 3D e a receptividade atual do público.

Durante a entrevista ele afirmou que sua definição de animação por computação gráfica se refere a séries "desenhadas em 3D" que reproduzem o sentimento e a aparência da animação tradicional feita à mão, eles estão trabalhando junto a seus animadores para conseguirem replicar essa sensação muito mais rápido do que qualquer um no Japão e atualmente têm obtido resultados interessantes. Os motivos para que essa nova animação em CG esteja se tornando promissora, segundo o produtor, são dois: Primeiro, em comparação com o passado o nível de renderização das workstations foi aprimorado drasticamente e segundo, os fãs de animes no país estão mais dispostos a aceita esse novo estilo.
A opinião do produtor sobre a animação 3D ser mais comum que a 2D no futuro.

Kazuya afirmou que a animação 2D tradicional tem sua própria identidade sendo impossível substituí-la por inteiro com a computação gráfica. Há espaço para ambas e embora o 2D jamais seja substituído completamente, haverá mais e mais espaço para o 3D daqui para frente. Falando a respeito do novo anime que estão produzindo chamado Revisions, Kazuya declarou que a série terá transmissão simultânea pela Netflix e ele deseja muito alcançar uma audiência global. Esse é seu primeiro projeto desse tipo mas a empolgação e o entusiasmo dos fãs é enorme e, por fim, o produtor acrescentou está confiante que o ocidente (incluindo nós aqui no Brasil) também verá essa nova fase da animação 3D com bons olhos.

Se curtiu, compartilhe.

Valeu e até a próxima.





Vídeo promocional de Revisions linkado diretamente do Youtube de acordo com serviços de API e políticas de compartilhamento.

Leia Também:
https://giganalise.blogspot.com.br/2017/09/recreators-o-grande-hype-da-temporada.html

https://giganalise.blogspot.com.br/2018/03/death-march-kara-hajimaru-isekai.html

https://giganalise.blogspot.com.br/2017/05/god-eater-luta-contra-extincao-da.html

https://giganalise.blogspot.com/2018/06/angel-beats-o-que-fez-desse-anime-um.html

https://giganalise.blogspot.com.br/2017/12/fateapocrypha-agora-sao-14.html